Publicado em Deixe um comentário

A Oferta de Turismo de Gramado e Canela

O ato de conhecer e experienciar a história, a cultura e a natureza de um lugar, define puramente do que se trata o turismo em si. Em Gramado e Canela, parques, museus e afins possilitam este envolvimento para o turista, e nos ajudam a tornar a região o segundo polo turístico para os brasileiros no Brasil.

Há varias maneiras de conhecer o que existe por aqui. Uma delas é ofertada por agências e operadoras de turismo, ou pelas informações turísticas dispostas pela secretaria do turismo das cidades, contida de profissionais credenciados que devem primar pela a essência histórico-cultural e natural da região.

Nesse contexto de turismo, a acessibilidade dada pela tecnologia tem ajudado e dado centenas de opções para os turistas em geral. Ademais, quem têm se sobresaído, são principalmente os destinos/roteiros turísticos que por fim vão se enquadrar apenas em determinados ou restritos perfis de turista. Assim, quem ve e vive no mundo do turismo local, tem notado um grande descontentamento de turistas gerado pela oferta de uma pobre esperiência ao que lhes é apresentado, geralmente vinda pela ênfase de um turismo banal e comercial, que por vezes não tem relação com da autencidade ou potencial do local que vivemos.

Para corroborar com o que ocorre, agências e operadoras de turismo têm enfatizado estes roteiros de estrutura comercial, com um preço baixo para execução, mas com o foco na venda de ingressos e produtos que gere comissão pela indicação do local visitado; com o foco na comissão, a qualidade do roteiro fica para segundo plano. A execução desse tipo de roteiro é avigorado pela oferta de pessoas, sem credenciamento ou conhecimento adequado, como por exemplo, por motoristas de aplicativo, os quais vêm indevidamente atuado como guias de turismo. A questão é, até que ponto esta oferta deve interferir na qualidade das férias dadas aos turistas? Vivemos em um lugar com diversas de riquezas naturais, cheios de história e cultura, temos outras tantas opções para atrair turistas; mas parece que o foco do turismo que aqui acontece está direcionado apenas para um tipo de turismo, para apenas um tipo de turista.

Para atrair mais turistas e outros perfis de turista, precisamos também estimular e desenvolver o turismo em lugares não tão “gourmetizados”, que por vezes estão fechados ou inexplorados. Não é preciso superestruturas para receber turistas como se têm pensado, se precisa apenas gerar valor aos locais. Existem atrações pouco conhecidas ou pouco estimuladas em toda a região, muitas delas de caráter público, que estão esquecidas, ou por falta de consciência ou má gestão, como no caso do Parque dos Pinheiros, que está fechado há uma década, pronto para uso. (saiba mais)

É imprescindível que o poder público se conscientize junto às agências e operadoras de turismo sobre esse panorama, e que se crie alternativas para re-moldar o turismo que temos vivido por aqui, deixando de lado o foco em comissionamento para focar na experiência das pessoas, é disso que se trata o turismo fundamentalmente. Façamos de Gramado e Canela um sinônimo de um turismo verdadeiro, não apenas daquele que distrai o turista, mas também o que acrescenta e que instrui. Precisamos proporcionar momentos fascinantes às pessoas, principalmente com o que temos de genuíno por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.